Não Somos Gangue!

Não somos uma gangue! Não somos um partido político! Somos um coletivo de Skinheads Antifascistas, composto por anarquistas e comunistas! Acreditamos na igualdade de todos os seres humanos, sem bandeiras, sem separatismo, sem preconceito ou qualquer barreira, seja ela de classe, cor de pele ou orientação sexual. Nossa principal atuação é no meio contracultural em que estamos, levando nossos princípios de esquerda e princípios libertários, atuamos através da propaganda antifascista, mas vamos além disso, procuramos atuar junto à classe trabalhadora, o verdadeiro pilar da sociedade, a luta do trabalhador, do pobre, do explorado, essa é a nossa luta. Defendemos a cultura Skinhead, cultura que nasce nos subúrbios ingleses, de uma juventude de imigrantes jamaicanos, negros, e da juventude inglesa trabalhadora das periferias, fabricas e portos. Cultura de união, diversão, futebol, cerveja, e luta, porém uma luta de cabeças, não de botas e facas. Dos que nos oprimem nada esperamos. Esperamos apenas de nossos irmãos de classe.



quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Poema Dedicado ao Camarada IVAN


Estamos divulgando a tradução literal de um poema feito por membros da RASH Equador, para o camarada Ivan, membro da RASH Moscow,assassinado em nov/09 (noticiamos o fato nosso boletim de novembro/dezembro de 2009).


Hoje levamos uma pena intransitável...
Por tua ofensiva morte prematura
E o soluço interminável das ruas.
Hoje sentimos a injúria no asfalto,
à neutralidade... sempre tão covarde.
A teu grito valente, que dizia é bastante.
Devemos a teus olhos, por olhar mais longe. Por olhar mais alto.
Pelo teu amor tão grande
Não esfries Ivan, não nos deixe
Que de teu grande coração continuem emanando as idéias que caminhem por Moscou e o mundo.
Florescendo nos risos antinazis.
Não esfriarás Ivan por trás das cinzas.
Serás o grito que nasce
Em nossos corações sempre irá bantendo o teu,
e atrás de cada grito antifascista estará tua voz.
Um homem morre defendendo o ideal de milhares.
E nasce uma canção do fundo de nossos punhos.
Tocando a consciência adormecida das pessoas.
Gritando sempre em nossa voz, teus irmãos.
Ensinando a dizer que já é o bastante.
Por isso, irmão, hoje prometemos e juramos,
que não haverá paz e perdão,
para esses malditos que te mandaram a esse bar
no qual nos reuniremos em algum momento.
Camarada, descansa em paz.

Um comentário:

Wander Florencio disse...

Vai em paz, camarada Ivan, organizar a luta em um plano mais elevado...