Não Somos Gangue!

Não somos uma gangue! Não somos um partido político! Somos um coletivo de Skinheads Antifascistas, composto por anarquistas e comunistas! Acreditamos na igualdade de todos os seres humanos, sem bandeiras, sem separatismo, sem preconceito ou qualquer barreira, seja ela de classe, cor de pele ou orientação sexual. Nossa principal atuação é no meio contracultural em que estamos, levando nossos princípios de esquerda e princípios libertários, atuamos através da propaganda antifascista, mas vamos além disso, procuramos atuar junto à classe trabalhadora, o verdadeiro pilar da sociedade, a luta do trabalhador, do pobre, do explorado, essa é a nossa luta. Defendemos a cultura Skinhead, cultura que nasce nos subúrbios ingleses, de uma juventude de imigrantes jamaicanos, negros, e da juventude inglesa trabalhadora das periferias, fabricas e portos. Cultura de união, diversão, futebol, cerveja, e luta, porém uma luta de cabeças, não de botas e facas. Dos que nos oprimem nada esperamos. Esperamos apenas de nossos irmãos de classe.



sábado, 22 de maio de 2010

Eles Devem ser Punidos?

Um assunto que vem sendo discutido recentemente, é o julgamento dos torturadores da ditadura militar. A discussão de punição ou não desses “seres” ainda prevalece dentre as bancadas da “justiça” do nosso país.

Para quem não sabe ou não se lembra, a ditadura no Brasil teve início em 1964 e término em 1985, e durante esse período os mais cruéis e covardes atos foram protagonizados pelas forças policiais, militares e autoridades em geral.

Militares provenientes dos Estados Unidos ensinavam as técnicas de tortura aos órgãos de defesa do regime militar. Dentre os atos bárbaros podemos citar: "cadeira do dragão", onde a vítima ficava sentada nua e recebia choques elétricos; o famoso "pau-de-arara", em que a pessoa ficava pendurava e recebia queimaduras com cigarro; "geladeira", que se resumia em uma cela pequena e baixa onde o preso ficava impedido de ficar em pé e havia um sistema de refrigeração e aquecimento que eram alternados para seus extremos e também haviam sons irritantes emitidos por alto-falantes; "soro da verdade", um soro que era injetado e causava certa sonolência onde a vítima era interrogada, sendo forçada a contar o que sabia; e tudo isso sem contar as sessões de espancamentos e afogamentos.

Cerca de 280 pessoas foram mortas no regime militar, e muitas simplesmente “desapareceram”. Após todos esses anos de truculência, os sujeitos que desencadearam essas crueldades continuam livres, sem nenhum problema e ainda por cima resta a dúvida: “Eles devem ser punidos?”

No mínimo um absurdo haver essa dúvida nos dias de hoje, e nós do Coletivo RASH SP damos o total apoio à punição desses canalhas que destruíram a vida de pessoas e suas famílias em prol de um sistema opressor, repressor e extremamente autoritário. Que os torturadores tenham a punição que lhes é cabível, ainda assim será muito pouco diante de todos os seus atos.

PUNIÇÃO AOS TERRORISTAS! NO PASARÁN!

Nenhum comentário: