Não Somos Gangue!

Não somos uma gangue! Não somos um partido político! Somos um coletivo de Skinheads Antifascistas, composto por anarquistas e comunistas! Acreditamos na igualdade de todos os seres humanos, sem bandeiras, sem separatismo, sem preconceito ou qualquer barreira, seja ela de classe, cor de pele ou orientação sexual. Nossa principal atuação é no meio contracultural em que estamos, levando nossos princípios de esquerda e princípios libertários, atuamos através da propaganda antifascista, mas vamos além disso, procuramos atuar junto à classe trabalhadora, o verdadeiro pilar da sociedade, a luta do trabalhador, do pobre, do explorado, essa é a nossa luta. Defendemos a cultura Skinhead, cultura que nasce nos subúrbios ingleses, de uma juventude de imigrantes jamaicanos, negros, e da juventude inglesa trabalhadora das periferias, fabricas e portos. Cultura de união, diversão, futebol, cerveja, e luta, porém uma luta de cabeças, não de botas e facas. Dos que nos oprimem nada esperamos. Esperamos apenas de nossos irmãos de classe.



domingo, 29 de agosto de 2010

Skinheads e Punks Antifascistas de Santa Catarina CONTRA A HOMOFOBIA


Dos dias 1º à 08/08/2010 ocorreu em Joinville/SC, a 2º Semana da Diversidade Joinville, encerrando-se np último dia 08 com uma passeata pela cidade. A passeata contou com o apoio e a presença do grupo Molotov - que foi notícia no jornal local - composto por punks e skinheads ANTIFASCISTAS da cidade. O grupo também esteve presente na passeata de 2009. Abaixo a resenha elaborada pelo grupo para o nosso blog:


Militantes da S.H.A.R.P. seção Santa Cataria, Coordenadoria Molotov Antifascista e mais alguns simpatizantes da cena punk e skinhead antifascista de SC, se reuniram domingo dia 08 de agosto para participar de mais uma passeata contra a homofobia em Joinville/SC.

Apesar das reivindicações não serem discutidas anteriormente o que deixou vago o objetivo da passeata ao nosso entendimento, concordamos em apoiar a luta contra o preconceito com algumas ressalvas que foram esclarecidas durante o encontro como: a nossa recusa ao princípio de criminalização, que tenta encobrir a verdadeira raiz do problema, bem como ao princípio de isonomia na constituição brasileira, pois acreditamos não passar de uma medida reformista adotada pela burguesia com a velha máxima: “Todos são iguais perante a lei”, que tenta ludibriar o proletariado.

A passeata foi tranqüila e sem nenhum problema, porém assim como de costume tudo terminou em uma festa na chegada ao Mercado Municipal, onde os participantes se reuniram para tomar umas cervejas e falar um pouco a respeito do evento. O que nos faz pensar mais uma vez se realmente queremos participar destes eventos.

Tirando a pequena e praticamente insignificante presença de alguns membros já conhecidos de grupos fascistas que tiveram a “cara de pau” de aparecer no evento, mas que logo se retiraram, quando perceberam a presença das organizações mencionadas anteriormente, não notamos nenhuma ação de repressão pelos grupos fascistas (tampouco da polícia). Esses grupos apareceram e logo entenderam o recado. Bash The Fash!

De qualquer forma acreditamos que a passeata teve suma importância no esclarecimento das posições políticas da SHARP-SC tal como da Coordenadoria Molotov Antifascista para todo o público presente. Agradecemos a Associação Arco Irís e a todo pessoal envolvido que resolveu “abrir a cebeça” e enxergar o que realmente é um punk e principalmente um skinhead.

[passeata de 2009]

Vida longa Punk / Vida Longa Skinhead / Vida Longa Antifa!

2 comentários:

Fundación Puerco Suíno de Meias disse...

Bem oportuna a postura crítica do pessoal de SC em relação ao conteúdo das reivindicações do movimento anti-homofobia local. Raramente os grupos skins/punx antifa vão além das palavras de ordem vazias e pouco fazem para superar seu próprio preconceito no dia-a-dia. Mais ainda: a falta de discussão sobre o tema faz com que grupos antifa acabem só fazendo número em manifestações e movimentos encabeçados por organizações GLTBs reformistas, cujas bandeiras de luta principais visam unicamente a acomodação de viados, lésbicas e etc à sociedade burguesa, sem que as causas reais da opressão sejam questionadas e combatidas. Foi mesmo uma boa surpresa ler este informe de Santa Catarina!

Isa disse...

"viados" ?