Não Somos Gangue!

Não somos uma gangue! Não somos um partido político! Somos um coletivo de Skinheads Antifascistas, composto por anarquistas e comunistas! Acreditamos na igualdade de todos os seres humanos, sem bandeiras, sem separatismo, sem preconceito ou qualquer barreira, seja ela de classe, cor de pele ou orientação sexual. Nossa principal atuação é no meio contracultural em que estamos, levando nossos princípios de esquerda e princípios libertários, atuamos através da propaganda antifascista, mas vamos além disso, procuramos atuar junto à classe trabalhadora, o verdadeiro pilar da sociedade, a luta do trabalhador, do pobre, do explorado, essa é a nossa luta. Defendemos a cultura Skinhead, cultura que nasce nos subúrbios ingleses, de uma juventude de imigrantes jamaicanos, negros, e da juventude inglesa trabalhadora das periferias, fabricas e portos. Cultura de união, diversão, futebol, cerveja, e luta, porém uma luta de cabeças, não de botas e facas. Dos que nos oprimem nada esperamos. Esperamos apenas de nossos irmãos de classe.



terça-feira, 25 de janeiro de 2011

São Paulo de Todos! São Paulo para Todos!









[CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR]

A cidade de São Paulo está em festa: completa hoje 457 anos e nós que representamos a sessão da RASH Internacional na cidade, não poderíamos deixar de parabenizá-la, e logicamente, as pessoas que batalham diariamente para nela sobreviver, sem esmorecer.

Essa gigantesca cidade, com uma população maior que a de muitos países da Europa, foi construída (e é constituída) por gente de todas as partes do Brasil e do mundo.

Certamente está entre as cidades mais multiculturais e multiétnicas do mundo, sempre foi uma cidade de muita mistura de culturas e etnias. Os imigrantes acabaram se adaptando à cidade e a cidade se adaptou aos imigrantes, criando uma nova cultura a partir dessa grande mistura na Paulicéia.

A cidade que recebeu - por exemplo - os imigrantes estrangeiros de braços abertos, têm festas comemorativas a vinda de cada povo aqui para a cidade, temos convenções, confraternizações, feiras, etc.

Por outro lado, os mesmos paulistanos que hoje recebem bem a maioria dos imigrantes estrangeiros, insistem em discriminar sua própria população, como sempre fizeram com o povo nordestino, que tanto trabalhou e trabalha nessa cidade, fazendo-os se sentirem estrangeiros dentro do seu próprio país.

É comum vermos pessoas que se orgulham em exaltar a sua ascendência estrangeira, principalmente se ela for européia. Desenterram a última geração, apenas para com o peito estufado poderem dizer: "Tenho ascendência italiana!". Até alguns times de futebol da cidade (Portuguesa e Palmeiras, por exemplo), não esquecem a origem de seus fundadores.

Após a Segunda Guerra, os países europeus receberam muitos dólares dos Estados Unidos durante o Plano Marshall, o que fez com que eles se recuperassem economicamente, e agora, os descendentes daqueles imigrantes passaram a usar a nostalgia pela terra que foi abandonada pelos seus ancestrais, que vieram para o Brasil fugir da fome e da miséria, pra esnobar os demais.

Por que não recebemos também de braços abertos a população do nordeste? Ou a população latino-americana aqui residente, como no caso dos imigrantes bolivianos, que trabalham mais de doze horas em oficinas de costura, por salários abaixo do mínimo, aqui na cidade de São Paulo e as autoridades fingem não saber de nada?

A campanha eleitoral do ano passado acirrou diversas formas de preconceito na cidade: o racismo, a xenofobia e a homofobia. Muitas pessoas se acharam no direito de vomitar todos os seus pensamentos xenofóbicos, racistas e homofóbicos, fazendo re-surgir movimentos separatistas como o "São Paulo Para os Paulistas".

Diante de tudo isso, que os votos de “parabéns” à cidade de São Paulo, pesem como um soco na cara da elite paulistana, que hipocritamente discrimina o povo nordestino e enaltece a população européia, que chegou aqui no país no início do século passado, fugindo de guerras ou buscando melhores condições de trabalho, da mesma maneira que o povo nordestino busca melhores condições de trabalho e vida na cidade de São Paulo hoje.

Será que essa elite paulistana se esqueceu que a cidade foi construída por peões dos quatro cantos do país e do mundo? Que essa mesma população de peões europeus também foram discriminados ao chegarem aqui? A cidade foi e está sendo construída por gente de toda a parte do mundo, ou seja, “se ninguém viajasse, São Paulo não existiria”.

Nós do Coletivo RASH SP somos internacionalistas, não acreditamos nas fronteiras dos países, como meio de separar e explorar os trabalhadores e privilegiar a burguesia. Somos internacionalistas e lutamos por uma sociedade que assegure às/aos trabalhadores o produto do seu labor, a sua liberdade, independência e igualdade social e política.

Somos contra os ideais defendidos pelos movimentos separatistas do país, seja aqui em São Paulo, em demais estados da região Sudeste e da região Sul.

Por isso, como nas fotos acima, damos parabéns a toda a população que realmente movimenta essa cidade, com o suor do seu trabalho. Ao povo nordestino, ao imigrante boliviano, peruano, argentino, italiano, português, espanhol, japonês, chinês, libanês, árabe, etc. SÃO PAULO PARA TODOS, SÃO PAULO DE TODOS!

E para os "skinheads" paulistanos ou sulistas, que se orgulham do discurso xenofóbico e racista, uma frase bem conhecida, mas que nunca sairá da moda: "Recorda Tuas Origens!". O movimento skinhead é multicultural e multiétnico, sem os imigrantes jamaicanos e sem a aceitação desses imigrantes por parte da juventude operária inglesa, nós nunca existiríamos. 

5 comentários:

IVAN disse...

Muito bom esse artigo! É preciso combater os falsos discursos de contradições entre etnias, culturas, nacionalidades. Somos irmãos trabalhadores e a única luta real é a luta de classes! Parabéns para São Paulo e para a classe operária paulistana!

subversao explosiva disse...

hahaha fóda

David disse...

A coragem política e prática de vcs. é absurda...um verdadeiro exemplo.

Max disse...

Que vergonha sujando nosso Estado de Sâo Paulo. Vocês sempre com esse "papinho de preconceito". Por que pra vocês não compartilhar do que é "fato" é discriminação??? Vocês se escondem atrás da palavra "discriminação", usam como escudo para proteger a marginalidade deste Estado e desta Nação.

São Paulo para os Paulistas sim!!!!
Aqui morreram verdadeiros heróis para uma mulecada idiota como vocês sujar nossas ruas!

Vocês devem respeitar este Estado, pois aqui que vocês estão procurando "sobreviver".

[denise abramo] disse...

Ótimo texto. Ótima intervenção!

Que possamos continuar firmes pelas ruas dessa cidade (ou de qualquer outro lugar onde estivermos, pois o mundo afinal é muito grande), sobrevivendo, batalhando, lutando pelo fim das classes e de toda a opressão, e principalmente RESPEITANDO AS PESSOAS - o que também significa combater a discriminação, que é a verdadeira SUJEIRA e VERGONHA dessa cidade.

Estamos juntos(as)!

Denise Abramo
Professora, lutadora, antifa