Não Somos Gangue!

Não somos uma gangue! Não somos um partido político! Somos um coletivo de Skinheads Antifascistas, composto por anarquistas e comunistas! Acreditamos na igualdade de todos os seres humanos, sem bandeiras, sem separatismo, sem preconceito ou qualquer barreira, seja ela de classe, cor de pele ou orientação sexual. Nossa principal atuação é no meio contracultural em que estamos, levando nossos princípios de esquerda e princípios libertários, atuamos através da propaganda antifascista, mas vamos além disso, procuramos atuar junto à classe trabalhadora, o verdadeiro pilar da sociedade, a luta do trabalhador, do pobre, do explorado, essa é a nossa luta. Defendemos a cultura Skinhead, cultura que nasce nos subúrbios ingleses, de uma juventude de imigrantes jamaicanos, negros, e da juventude inglesa trabalhadora das periferias, fabricas e portos. Cultura de união, diversão, futebol, cerveja, e luta, porém uma luta de cabeças, não de botas e facas. Dos que nos oprimem nada esperamos. Esperamos apenas de nossos irmãos de classe.



quarta-feira, 29 de junho de 2011

Panfletagem 15ª Parada Gay de SP - 26/06/2011

 
Mostrar publicamente e descontruir o estereótipo que skinhead é sinônimo de indivíduos carregados de preconceitos, é o objetivo de qualquer grupo de skins antifascistas organizados. Porém a RASH-SP não está nessa apenas para limpar a barra dos verdadeiros skinheads, mas também, mostrar que somos um coletivo com conteúdo, e não deixando de lado nossas raízes operárias e nos tornando apenas mais uma crew nas ruas. A nossa luta é antifascista, é contra o capitalismo e todos os seus males: o racismo, a xenofobia, o machismo e a homofobia.

Dessa forma, marcamos presença na 15ª edição da Parada Gay (Parada LGBT) da cidade de São Paulo, juntamente com nossos camaradas punks antifascistas, com o principal objetivo de difundir a nossa opinião sobre os rumos da luta contra a homofobia em nossa cidade. O texto distribuído na Parada foi o mesmo do post anterior desse blog.



Deixamos aqui o nosso agradecimento especial aos PUNKS que colaram conosco embaixo de chuva para a panfletagem, compartilhando a mesma opinião que a RASH-SP.

Um comentário:

subversiveopendiscoursebr disse...

Concordo plenamente com o texto sobre a associação da parada. O pink money e o machismo infelizmente andam cegando muitos ativistas LGBT (ou eu deveria dizer só G), e é muito triste e contraproducente para não dizer frustrante termos que lidar com discriminação mesmo dentro do movimento. O pior é que a associação se recusa a nos ouvir, o orgulho subiu a cabeça e acham que são a cereja do bolo do movimento LGBT.

Ps. Obrigada pelo comentário no meu blog, subscrevi o blog no meu greader, simpatizo muito com o RASH.