Não Somos Gangue!

Não somos uma gangue! Não somos um partido político! Somos um coletivo de Skinheads Antifascistas, composto por anarquistas e comunistas! Acreditamos na igualdade de todos os seres humanos, sem bandeiras, sem separatismo, sem preconceito ou qualquer barreira, seja ela de classe, cor de pele ou orientação sexual. Nossa principal atuação é no meio contracultural em que estamos, levando nossos princípios de esquerda e princípios libertários, atuamos através da propaganda antifascista, mas vamos além disso, procuramos atuar junto à classe trabalhadora, o verdadeiro pilar da sociedade, a luta do trabalhador, do pobre, do explorado, essa é a nossa luta. Defendemos a cultura Skinhead, cultura que nasce nos subúrbios ingleses, de uma juventude de imigrantes jamaicanos, negros, e da juventude inglesa trabalhadora das periferias, fabricas e portos. Cultura de união, diversão, futebol, cerveja, e luta, porém uma luta de cabeças, não de botas e facas. Dos que nos oprimem nada esperamos. Esperamos apenas de nossos irmãos de classe.



terça-feira, 2 de agosto de 2011

Resenha - Exibição Documentário "ANTIFA: Chasseurs de Skins" em Joinvillie/SC

Publicamos abaixo a resenha elaborada pelo Coletivo Molotov (Punks e SHARP´s) de Joinville/SC sobre o evento de exibição do documentário “ANTIFA: Chasseurs de Skins”.

Primeiramente parabenizamos o coletivo pela iniciativa, esse é o papel de grupos antifascistas dentro da cena skinhead e punk: promover eventos onde o debate dessa luta antifascista seja levantado. Também registramos aqui o nosso apoio para colaborar com o grupo, para que continuem a organizar esses eventos, que além de levantar o debate, atrai novos participantes.

Quanto à falta de apoio para o evento (inclusive da própria cena punk, skin e underground no geral) que o grupo relatou , temos a dizer que isso não deve ser motivo de desistência. O desinteresse político (interesse político não é sinônimo de militância partidária) dentro das subculturas não é uma particularidade da cidade de Joinville/SC apenas, coletivos de skinheads e punks sofrem com esse desinteresse em cidades maiores, como São Paulo por exemplo, que têm uma presença muito maior desses grupos e sofre desse mesmo mal. E também não é uma particularidade apenas do nosso país, temos ciência que pelo mundo a fora muitos jovens estão ligados à cena antifascista das ruas apenas por modismo, não são comprometidos e agem apenas por pose.

Justamente por conta desse modismo é que coletivos como o Molotov devem se manter firmes, aproximando os indivíduos e demais coletivos com interesses e objetivos em comum, formar redes e juntar todos os antifascistas da região. Devem trabalhar com as pessoas com convicção ideológica, devem fortalecer essa convicção e estarem atentos aos novos interessados.

Mantenham-se firmes e continuem com o esse sentimento claro de vocês, tomando para si as ruas da cidade e não permitindo que os fascistas se expressem. Nem nazi-fascistas e nem putos amigos de nazi-fascistas.

RASH SP

Resenha por Coletivo Molotov
Domingo, dia 31/07/2011, foi o dia escolhido para a exibição do documentário francês "ANTIFA: Chasseurs de Skins" na cidade de Joinville/SC, documentário esse enviado pelos companheiros da RASH de São Paulo ao Coletivo Molotov Antifascista.

Primeiramente tentamos realizar o evento na Cidadela Cultural Antártica, porém após 3 semanas aguardando a resposta deles, saímos de lá escutando:

"- Isso aqui não é pra fazer festa particular!"
"- Não vai dar pois vamos reformar o auditório!"

Atitude que nos deixou surpresos, tendo em vista que preparamos uma carta explicando a respeito do filme, do Coletivo Molotov e de nossa intenção em exibir o documentário. Levamos mais algumas semanas até encontrar um outro local que aceitasse realizar o evento. No final fechamos com a Sociedade Cultural e Esportiva Cruzeiro.

Resolvemos marcar em um domingo às 16h, devido ao fato de Joinville ser uma cidade operária onde muitos trabalham aos sábados. Fizemos uma boa divulgação enviando o cartaz para todos os nossos contatos. Porém como é de costume em Joinville, o próprio público não apoia a cena underground local.

Fato esse que não nos desanima e muito menos nos faz pensar em não realizar mais eventos na cidade, porém, nos faz perguntar: "Onde estavam aqueles que dizem apoiar as causas Antifascistas?". Enfim, continuaremos realizando nosso trabalho visando dissiminar a luta Antifascista e adquirir novas alianças.

No local estava presente o Coletivo Molotov e seu grupo de apoio, convidamos para a banca de debate um camarada Skinhead professor de História. O filme se iniciou às 16h30 e todos permaneceram em seus lugares observando atentamente o documentário.

Ao final iniciamos o debate. Esclarecemos alguns pontos do filme em relação ao ganguismo e da cena skinhead mundial para depois conversarmos a respeito de como esse documentário viria a influenciar e servir para a cena local da cidade.

A conversa foi bastante construtiva e serviu para analisarmos diversas épocas do rolê de Joinville. Também citamos a forma como os grupos de extrema direita se organizam em nossa cidade, assim como alguns outros pontos que o documentário nos despertou. O debate não foi muito longo, provavelmente pelo fato do público presente já conhecer o documentário e de estar ciente das idéias contida no mesmo.

Esse evento foi de grande importância para o Coletivo, pois além dos pontos citados acima, ele serviu para dar um verdadeiro gás em todos. Agradecemos aos que foram prestigiar o filme e logo daremos continuidade ao debate com aqueles que se interessam pela causa.






5 comentários:

Molotov Antifascista disse...

Agradecemos a todos vocês da R.A.S.H SP pelo apoio.
Seguiremos nosso caminho lutando até a vitória final!

C.M.A
Coordenadoria Molotov Antifascista!

Bass-Player disse...

Já assisti este filme , um excelente documentário sobre a resistencia punk e skin conha os nazi skins !

otima atitude e um abraço aos camaradas Rash de Sampa !

Léo TTI disse...

Onde eu encontro esse documentário para download/venda ?

se possivel me responderem pelo e-mail: leo.antifa@live.com

Garota Proscrita disse...

Olá, gostaria de parabenizar ao coletivo Rash SP por seu excelente trabalho, inclusive com este blog. Confesso que a princípio a noção de "skinheads" anarquistas e comunistas soou-me estranha, impressão que foi-se dissipando à medida em que mergulhei na leitura da história do coletivo e desta contra-cultura tão contraditória e mal-compreendida aqui no Brasil, um país onde a população é muitas vezes privada até do conhecimento da história mundial que se convencionou tomar como "objetiva"(como se isto fosse possível), que se dirá então das contra-culturas e sub-culturas mundiais. Diante do evidente crescimento dos grupos de cunho neo-nazista e fascista, eu, como ser humano e cidadã minimamente esclarecida, gostaria de me solidarizar e colocar-me à disposição de vocês para todo e qualquer ato de manifestação, bem como divulgação do anti-fascismo e do conhecimento que conduz ao esclarecimento. Estou me formando em Filosofia, e também gostaria de colaborar com o blogue, caso julguem necessário, contem comigo. Day Castro

caverapunkoi! disse...

Gostaria de dizer aos camaradas R.A.S.H que David Vega nunca deve ter usado um trem ,nunca bateu cartão,nunca precisou vender sua força de trabalho,portanto NUNCA foi skinhead e não deve ser levado a sério é só mais um burgues dos tantos que infestam os malditos movimentos de direita.